Consumidor, cuidado com os descontos ilusórios.
26/11/2012
cuidado-consumidor

Movidos por promoções absurdamente chamativas, consumidores do Rio, do Brasil e do mundo se iludem diariamente com a oferta de inúmeros produtos. Entretanto, em muitas compras, a relação custo-benefício pode não corresponder com a expectativa do consumidor.

São diversas as ocasiões em que nos deparamos com quedas de preço tão grotescas que chegam ao absurdo. E é claro que nos sentimos tentados a aproveitar esse momento e comprar. Um exemplo de evento em que acontece esse tipo de oferta é a chamada “Black Friday” – já tradicional nos EUA há muitos anos e que vem sendo trazido para o Brasil recentemente, tendo sido a terceira edição local agora no ano de 2012. Trata-se de um verdadeiro fenômeno em que milhares de pessoas se mobilizam para aproveitar grandes ofertas com a expectativa de fazer ótimos negócios. Mas nem sempre é isso que acontece.

No Brasil, essa impressão de economia é por muitas vezes apenas uma máscara para o valor do produto. Tanto que no dia exato do evento, milhares de usuários brasileiros da rede social Twitter, conscientes de que as compras não estavam valendo à pena, fizeram reclamações, desabafos, ironias e trocadilhos destacando a fraude da qual se tratava tudo aquilo. Era a #BlackFraude.

A forma de maquiar preços que marcou o Black Friday brasileiro funcionou da seguinte forma: um determinado produto de valor – como uma câmera digital, por exemplo – tinha seu valor substancialmente elevado às vésperas do evento. Daí, no dia de desconto, seu valor realmente caía, mas a promoção se baseava numa porcentagem enganosa com a única função de fazer o consumidor acreditar que a queda de preço era gigantesca, induzindo-o ao consumo por impulso. Na verdade, o que aconteceu foi um desconto baixo, desses perfeitamente possíveis de serem feitos ao longo do ano.

Exemplificando: vamos imaginar um computador de uma determinada marca, cujo preço original é de R$1000. Às vésperas do Black Friday, o lojista eleva o valor desse mesmo computador para R$1500 e anuncia no dia do evento um grande desconto de 50%. Dessa forma, o valor de venda nos sites para esse dia é apenas uma enganação, pois, na verdade, não está sendo oferecido o desconto de 50%. O valor real do desconto nesse caso teria sido de 25%. Agora imagine você chegando na loja virtual e vendo uma oferta de 50% nesse computador. É muito mais tentador do que 25%. E é essa a enganação que o consumidor encontra em inúmeros casos.

Estratégias para ocasiões de compras em grande volume são comuns e válidas para captar a atenção e o desejo do comprador. Mas é errado enganar quem consome, fazendo transparecer vantagens aparentes que não correspondem à realidade dos valores. Nessa brincadeira, quem sai perdendo é unicamente o consumidor. Portanto, tome muito cuidado! Avalie as promoções para ter certeza de que elas são reais. Compare preços e seja consciente com os seus gastos. O seu bolso agradece.

Nenhum comentário foi publicado até o momento

Deixe seu comentários

Receba Atualização
  • * = campo obrigatório

    powered by MailChimp!