Doar sangue, ser cidadão.
23/11/2012
doação-de-sangue

Todos os dias, milhares de pessoas no Rio, no Brasil e mundo afora precisam de uma transfusão de sangue para salvar suas vidas. As causas dessa necessidade são diversas: doenças, anemias, tratamentos médicos fortes, acidentes graves etc.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o percentual ideal de doadores de sangue em um país esteja entre 3,5 e 5% de sua população. Entretanto, a situação no Brasil não corresponde a esse ideal: os dados da OMS apontam que nossos doadores nem chegam a totalizar 2%. Entre esses representantes, a atuação mais forte está entre os jovens de 18-29 anos, que juntos somam pouco mais da metade dos doadores.

Inúmeros mitos circulam entre as pessoas, por vezes amedrontando-as e impedindo essa forma de doação. Mas não… doar sangue definitivamente não engorda nem emagrece, não vicia, não provoca anemia, não afeta o ciclo menstrual das mulheres, não traz riscos de contaminação e nem engrossa o fluido causando entupimento das veias. Nenhum mal é provocado ao doador. Muito pelo contrário: a ele é proporcionada a maravilhosa sensação de ser o responsável por ajudar uma vida.

Apesar de ser uma atitude 100% voluntária e altruísta, a doação de sangue requer um crivo seletivo para evitar que tanto o doador quanto o receptor corram riscos de saúde. Portanto, para ser um doador, a pessoa deve pesar no mínimo 50kg, ter entre 18-65 anos de idade e estar bem de saúde, devidamente descansado e alimentado. Os jovens dos 16 aos 18 anos incompletos também podem doar, desde que apresentem consentimento formal de seus responsáveis. Vale lembrar, também, que é necessário levar documento oficial de identificação com foto (identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista, carteira do conselho profissional ou carteira nacional de habilitação). Todas as demais restrições são apresentadas em uma tabela que você pode acessar clicando AQUI, cujas informações são provenientes da Revista UOL Saúde.

Após o ato da doação, existem ainda alguns cuidados importantes a serem tomados pelo doador em benefício de sua própria saúde. De acordo com dados oferecidos pelo INCA, as precauções mais fundamentais para esse momento são: evitar esforços físicos exagerados por pelo menos 12 horas, aumentar a ingestão de líquidos, não fumar por cerca de 2 horas, evitar bebidas alcoólicas por 12 horas e manter o curativo no local da punção por pelo menos 4 horas.

Diversas campanhas estão sendo veiculadas no Brasil no esforço de mobilizar a população em torno dessa causa. O motivo é que nesse domingo, 25 de novembro, é comemorado o dia nacional do doador de sangue. Entretanto, você pode ser um doador em qualquer época do ano, desde que apto em saúde para tal. Para fazer isso aqui no Rio de Janeiro e ajudar a salvar inúmeras vidas, tanto o HEMORIO quanto o INCA podem ser visitados.

HEMORIO

Contato: (21) 2332-8611

http://www.hemorio.rj.gov.br/

Horário de funcionamento: todos os dias de semana, das 7h às 18h, inclusive finais de semana e feriados.

Endereço: Rua Frei Caneca, 8 – Centro – Rio de Janeiro

INCA

Contato: (21) 3207-1000

http://www2.inca.gov.br/

Endereço: Praça Cruz Vermelha, 23 / 2° andar – Centro – Rio de Janeiro

Horário para doação: 2ª a 6ª feira, das 7h30 às 14h30 / sábados, das 8h às 12h

Nenhum comentário foi publicado até o momento

Deixe seu comentários

Receba Atualização
  • * = campo obrigatório

    powered by MailChimp!