Entrega de mercadorias e prestações de serviços: abusando do desrespeito
08/09/2012
entregas

Se você já comprou algo e mandou entregar em casa, certamente já passou pelo transtorno de ter que disponibilizar uma boa parte do dia para esse fim. As concessionárias de entrega mantém uma prática absurdamente desrespeitosa com o consumidor de não estabelecer um horário certo para a entrega. Os prazos acabam por ser incertos e irregulares: horário comercial, na parte da manhã, ou manhã ou tarde… e o consumidor é obrigado a ficar em casa esperando.

Se perder um dia de trabalho, estudo ou qualquer outra atividade para esperar uma encomenda já é uma situação desagradável, pior ainda é quando a solicitação não chega no dia certo. Um desrespeito muito recorrente.

Pensando no benefício do consumidor, meu irmão Átila Nunes Neto (falecido esse ano vitimado de câncer), enquanto vereador, criou um projeto de lei que trata do respeito que o cidadão merece nesses casos. O projeto instituía uma margem máxima de duas horas para que a entrega marcada acontecesse. Dessa forma, não se perderia mais um dia inteiro de espera incerta sem saber a que horas exatamente chegaria a compra.

Na ocasião de sua criação, o projeto foi aprovado na câmara. Entretanto, foi vetado pelo prefeito César Maia. Por conta disso, eu gostaria de reapresentar essa proposta no mesmo teor, acreditando que o prefeito do próximo mandato entenderá o quanto as atuais leis prejudicam o consumidor.

Nenhum comentário foi publicado até o momento

Deixe seu comentários

Receba Atualização
  • * = campo obrigatório

    powered by MailChimp!