Entrevista com o Vereador Átila Alexandre sobre a tragédia de Santa Maria
07/02/2013
Entrevista com o Vereador Átila Alexandre sobre a tragédia de Santa Maria

É uma pena que tragédias como a que ocorreu recentemente em Santa Maria sejam necessárias para que possamos abrir os olhos a questões tão óbvias quanto a segurança. Nesse caso, em uma casa noturna, mas poderia ter sido em qualquer outro tipo de estabelecimento.

Sobre esse assunto, fui entrevistado nessa terça-feira pela repórter Neise Marçal no programa radiofônico Redação Nacional. Falei um pouco sobre o que cabe ao legislativo do Rio para esta causa e gostaria de repassar um pouco do mote para você, leitor do meu blog:

Falamos sobre a nova Comissão que será instaurada para fiscalizar as casas noturnas da cidade. Para tanto, eu e os demais integrantes enxergamos nessa possibilidade a importância de rever a legislação em vigor e atualizá-la. As situações nos mostram a defasagem das nossas leis e a necessidade de constante renovação. Além desse ponto, também é função da Comissão estar junto ao poder executivo para acompanhar toda e qualquer fiscalização, dando o suporte necessário para atender às demandas.

Não se trata de meras normas. Trata-se da necessidade de uma alteração para que seja cobrada com maior exigência alterações mínimas de precaução. Destaquei que as situações vão surgindo e nos mostrando o que podemos aplicar na lei. Por exemplo: no caso de Santa Maria, tornou-se clara a necessidade de iluminação no chão para mostrar a saída de emergência, já que a fumaça desce e atrapalha essa visão. São providências como essa que podem se tornar lei agora, evitando desastres futuros.

Apresentei em primeira mão, também, uma solução que estamos tomando sobre esse assunto para que todas as mudanças adquiram um caráter nacional, e não meramente local: queremos integrar os três níveis do legislativo (tanto na esfera municipal quanto na estadual e na federal) para essa questão com o intuito de gerar um resultado mais eficaz.

Entretanto, não adianta haver todo um processo de burocratização que demore meses para sair do papel. Afinal, não queremos atrapalhar o desenvolvimento do setor e nem impedir o funcionamento de boates. Queremos ter um canal aberto de comunicação com os empresários da noite com o objetivo de garantir segurança aos frequentadores desses locais.

Esses frequentadores, por sinal, também podem fazer a diferença. Sobretudo os jovens. A população deve ter consciência do seu poder ao enxergar e denunciar situações de irregularidade. Ao apontá-las, podemos tomar providências a respeito e assim lhe garantir o que é de direito.

Deixo aqui, também, o áudio da entrevista na íntegra. Clique no play para ouvir.

Entrevista com o Vereador Átila Alexandre sobre a tragédia de Santa Maria

Nenhum comentário foi publicado até o momento

Deixe seu comentários

Receba Atualização
  • * = campo obrigatório

    powered by MailChimp!